(y'

inventou se um narrador personagem, e autoral...

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

sábado, 22 de dezembro de 2012

mais próximos

e agora nos cabem menos desculpas,
menos atrasos

combinamos assim...

sejamos verdade, mesmo que curta




terça-feira, 11 de dezembro de 2012

das manutenções

observar
e absorver esse acumulo

me disponho, e tento tanto...

conservo nos lábios o gosto do teu nome


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

em fuga

sem bussolas e desprogramando costumes

rumando sem instruções,
e evitando gostos iguais

definitivamente não gosto de me sentir em casa...

terça-feira, 6 de novembro de 2012

um bom lugar



ajustar o riso,
e abrigar as boas intenções...

e sentir se bem, sem critérios...


sábado, 27 de outubro de 2012

em busca

dispondo me,
pretendo encurtar incômodos,
construir afagos e diminuir hipóteses...

de maneira proposital é indispensável desencadear e manejar as coisas boas


das acomodações

me sinto bem em qualquer lugar, aprendi a me adaptar...


domingo, 21 de outubro de 2012

das recíprocas

somos assim... refugio
o teu riso, é o caminho mais curto para o meu riso



terça-feira, 16 de outubro de 2012

capricho dos deuses

um pouco me aborreço

certa rua me incomoda,
nos interrompe

um céu de nuvens tantas,
demoras em demasia, um descuido...






quinta-feira, 27 de setembro de 2012

pés descalços

procuro as coisas menos intencionais
e me permito, as decepções...


nas ruas

...meu nome eu não sei,
nem sei se tenho, e se tenho, esqueci

todos me chamam de guri

mesmo quem eu não conheço, mesmo quem não me conhece

o fumaça, um cara que andava por aí comigo, sumiu
ele fugiu de casa há bem pouco tempo

'tô atras dele

andando pelas ruas
os prédios,
ao redor, imensos, parecem arranhar os céus

me disseram que algumas pessoas moram la em cima

'tá escurecendo
'tô com fome
mas da pra aguentar

'tá esfriando
acho melhor arrumar um lugar pra dormir

daqui a pouco
aquelas mulheres começam a andar pela rua
eu gosto, o fumaça é que não tirava o olho...




domingo, 23 de setembro de 2012

assim mesmo

desocupando desculpas
e sem depender...

um desinteresse habitual e pratico

em verdade, funciono melhor sem expectativas...







quinta-feira, 20 de setembro de 2012

descomplicar

e desconfio, apenas
antes distraídos, e o vinculo ameno de um riso

o segredo, é descobrir esse jeito fácil de deixar as coisas boas acontecerem...




domingo, 9 de setembro de 2012

melhor assim

me conformo,
e esqueço um pouco de certas coisas

algumas demoras esfolam...

mesmo que sem querer, é melhor ser feliz...


das escolhas

na medida do possível, e sem culpas, sorrir...

em resumo,
um rumo,
ou ao menos uma rua melhor pra caminhar.



sábado, 1 de setembro de 2012

nós

e ambos eram dentro do sonho,
desarrumados...

ainda que a culpa impeça

das coisas
carrego uma consequência feliz




sexta-feira, 31 de agosto de 2012

de repente

se, quem sabe
e sem desculpas...

as complicações são desnecessárias,

me aproximo,
me habituei com essa tua falta de jeito

somos feitos de horas inesperadas


terça-feira, 28 de agosto de 2012

das coisas difíceis

me complico, em verdade, e por razões que desconheço

me calo,
e não me alcanço...

quando procuro e não disfarço
seu nome escondo no bolso

de todos os atos, te sentir é o que eu mais gosto...


da arte de ser feliz


não costumo ser o mesmo quando a rotina me acompanha



sábado, 18 de agosto de 2012

das mudanças

com a alma inquieta, desajeitada e um sorriso bobo
derrubei as desculpas e fui...

algumas coisas, as que ficam, eu não mais precisarei usar...


das intenções

e mesmo assim, longe...

e com essas vontades desordenadas e tão suas

eu ainda respiro despretensiosamente ao teu lado


entre nós

de uma igual assiduidade, no entanto de modos distintos,
sentimentos atrapalhados que perambulam entre o querer
e o precisar formando intensidades incompatíveis

entender é um detalhe, um acidente

melhor assim


dos arrependimentos

...mas enfim, ainda não consigo,
não me permito,
e construo com retalhos maneiras de reaprender
certos estragos nos auxiliam a nos manter melhor e em pé

penso que o equilíbrio é um erro em um contínuo corrigir











sábado, 11 de agosto de 2012

das buscas

embora a direção seja sempre a mesma
a maneira de caminhar se altera, se modifica

as necessidades mudam

o empenho e o cansaço se ajeitam,
o medo equilibra,

e sempre surge a possibilidade de um objetivo melhor na próxima esquina


das transfigurações


escrever... é visibilizar a alma


quinta-feira, 9 de agosto de 2012

das demoras


entre atrasos e esperas

se eu não puder ser feliz pra sempre,
serei feliz aos poucos, o tempo todo...


domingo, 5 de agosto de 2012

dos rubores

ela com os braços sobrepostos na janela

na rua...
cautos passos encurtados meus
e o olhar fugidio

quando eu olhei, quem olhava era ela


sexta-feira, 13 de julho de 2012

dos encontros II


encontraram se na esquina da minha rua e a tua
o meu olhar e os teus tornozelos

caminhamos pela rua
eu e o agradável barulho dos teus passos

em sorrisos, deram se as mãos, a minha e a tua sombra...


sábado, 23 de junho de 2012

enquanto houver esperas

desmereço valores de tempo

gosto do cheiro de ameixas e amoras dos teus beijos
gosto da cor dos teus beijos

gasto o meu sono lembrando de tu...


enquanto isso...

desconfio que quase não lembro das manhas distantes de setembro...    


domingo, 17 de junho de 2012

dos contentamentos

dessa alegria simples,
intercalada de sorrisos fáceis,
e improvisos

de uma outra maneira junto de ti,
próximo

acostumei a minha alma com o teu sorriso






quinta-feira, 14 de junho de 2012

desse amor aos poucos

. . . o teu cheiro transita nos meus pensamentos
desenrolei as horas do meu bolso
o beijo de trinta minutos atrás

as vezes esqueço de lembrar que te esqueci

acho que desisti de sentir a tua falta
e então aproveitar mais a tua presença, mesmo que momentânea


ter-te incompletamente me deixa assim


do estar apaixonado

'scorado
na janela do seu quarto
...
olhando para o céu

'scorada
na janela do seu quarto
...
olhando para o céu

ambos

como se o céu
fosse a fechadura de uma porta


sábado, 9 de junho de 2012

das divinas providências

entre o crer e o descrer,
o livre arbítrio transita por entre o vale do bem e do mal
buscando prender-se em algo no que acreditar

dos olhares que você plantou, colhi o meu sorriso mais sincero
em fé...





terça-feira, 5 de junho de 2012

em outras palavras

é bem simples,
as vezes é melhor ouvir, do que dizer...

uma manha molhada de junho
como era costume, as suas ausências amontoavam se em mim

desajeitadamente, eu lembro de um abraço teu e silencio me...





domingo, 3 de junho de 2012

das declarações


eu te amo, e tanto
amo, e muito

amo e dependo

amo ... desmedido, desmesurado
e amo

amo as tuas cores
a tua imagem
o teu reflexo
e a tua sombra

amo as tuas maneiras
os teus costumes
o teu jeito e a tua falta de jeito

amo o teu humor e a tua falta de humor

amo os teus carinhos
o teu afago
o teu olhar
a tua voz
e o teu silencio
e amo ainda mais os teus lábios

e amo

...te amo
amo... e sempre... 



sábado, 2 de junho de 2012

das brincadeiras

enquanto a lua brincava de esconde-esconde no céu de nuvens incertas
eu brincava de imaginar você aqui do meu lado...

eu sempre acordo sorrindo quando escuto a sua voz
enquanto sinto a cor do teu beijo
em um abraço invisível a minha alma mistura com a tua




quinta-feira, 31 de maio de 2012

do amor

inevitável,
indefinível,
um composto de diferentes elementos.

o amor... é uma substancia amalgâmica


terça-feira, 29 de maio de 2012

herança célica

e esse largo e inesperado sorriso teu
uma manha de outono

recuso o excesso e fico com esse pouco de ti

nesses instantes ligeiros, 
aprecio a demora, a falta de pressa, o esquecer

o avesso de triste, continuo-me...


sábado, 12 de maio de 2012

caminhando...

por enquanto, tenho em uso os passos ansiosos e distantes

e um riso amassado
no bolso...


das dependências

as vezes, apenas uma dose de tu me embriaga...


das coisas simples

me aproximo
descomplico

sem excessos

o andar é sempre mais fácil quando caminho ao teu lado


domingo, 22 de abril de 2012

do cotidiano

pre...guiço...so
o amanhecer arrasta consigo a chuva de ontem a noite
atrasado,
o galo canta, pedindo desculpas pelo deslize
uma formiguinha, 
despretensiosamente,
escala a lateral da minha xícara dividindo assim o café da manha comigo


sábado, 3 de março de 2012

aos ermos celestes giram os sóis


...

não acredito em nada que seja para sempre
mudanças são necessárias

algumas coisas merecem mesmo ficar pelo caminho
e as que permanecem,
são as coisas que tiveram a capacidade de se reinventar...

invasões

minha língua te invade a boca
e a tua alma ocupa cada pedaço da minha pele...


asteísmo

a busca pelo saber
tropeça...
e cai de joelhos
com os olhos em direção ao céu

juntam se as mãos

nos lábios
incompreensíveis incógnitas
dispersas em um longo perscrutar ...



dos encontros

relâmpagos vaga-lumeando...
a rua faceira em frente a tua casa, mostra que o beijo escondido nos teus lábios veio aparecer na minha boca


quinta-feira, 1 de março de 2012

...vestígios

recolho fragmentos
delicio me

... na calçada em frente a tua casa, sentados, eu e tu 
absortos

como eu gostava de caber no cheiro de flor de macieira do teu abraço


domingo, 26 de fevereiro de 2012

do que não aconteceu

igual ao nosso amor
é a flor que não floresceu, 
interna, oculta e bela

é o trigo que não tornou- se pão,
a uva que não liquidificou-se em vinho,
a escada que ninguém subiu, 
e que ninguém desceu
o degrau onde ninguém parou
e onde nenhum beijo surgiu